Artigo de Blogue

Todos os Artigos

Convidados do Queer Lisboa 22

O Queer Lisboa 22 vai contar com a presença de um expressivo número de profissionais de cinema, entre realizadores, produtores e actrizes. 
Da Competição de Longas-Metragens, o Queer Lisboa 22 contará com a presença dos cineastas brasileiros Marcio Reolon e Filipe Matzembacher, que voltam ao Festival para apresentar a sua última longa-metragem, Tinta Bruta, um dos títulos mais aplaudidos da recente cinematografia queer brasileira e que teve estreia mundial na última Berlinale. Também estreado mundialmente na mais recente edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim, o filme Marilyn estará representado pelo seu realizador, o argentino Martín Rodríguez Redondo.
Da Competição de Documentários, recebemos desde os EUA a Jordan Schiele, que virá apresentar The Silk and the Flame, um belíssimo retrato a preto e branco de Yao, um jovem chinês, gay, que vai visitar a família durante o Ano Novo Chinês. A cineasta Nicoletta Nesler e a produtora Susi Monzali também marcarão presença com Lunàdigas - ovvero delle Donne senza Figli, uma lúdica mas séria abordagem ao tema das mulheres que não querem ter filhos.
No âmbito da Competição Queer Art, destaque para a visita a Lisboa da lendária atriz brasileira Helena Ignez e da Djin Sganzerla, atriz principal de A Moça do Calendário, filme que Ignez dirige, e filha que a realizadora teve com o também incontornável realizador do Cinema Marginal Brasileiro Rogério Sganzerla. O ator Yuri Yamamoto e o produtor Rogerio Mesquita apresentam também nesta Competição, dedicada a narrativas mais desafiantes, o filme Inferninho, de Guto Parente e Pedro Diogenes, e Mònica Rovira fará o mesmo com o melancólico e vanguardista documentário Ver a Una Mujer.
Na Competição de Curtas-Metragens, o Queer Lisboa 22 receberá a visita de vários representantes de filmes internacionais: Carolina Markowicz volta ao Festival, desta vez, e após triunfar em Cannes, com O Órfão; Jerry Carlsson também está de regresso ao Queer Lisboa, e apresentará Shadow Animals acompanhado pela sua produtora Frida Mårtensson; Thomas Hakim compete com o hipnótico filme En Attendant, e Ana Galizia com o documentário Inconfissões. Também dentro da Competição de Curtas-Metragens receberemos a visita de Ricardo Vieira Lisboa, vencedor da Competição In my Shorts em 2016, e que agora apresenta Os Motivos de Reinaldo, e de José Magro, vencedor da Competição In my Shorts do Queer Porto também em 2016, e que nos falará sobre o seu novo filme Letters from Childhood.
Também estarão presentes no Cinema São Jorge outros cinco realizadores portugueses para apresentar os seus mais recentes trabalhos, mas desta vez fora de Competição: André Santos e Marco Leão (Self Destructive Boys), Miguel Nunes (Anjo), Jorge Jácome (Flores) e Gabriel Abrantes, cujo Diamantino, co-realizado com Daniel Schmidt, abre o certame.
Da Competição de Filmes de Escola Europeus In My Shorts, o festival contará com a presença de Samuel Auer, realizador de Night Owls, e ainda Clara Stern, autora de Mathias.
A lista completa de convidados pode ser consultada aqui

O Queer Lisboa 22 vai contar com a presença de um expressivo número de profissionais de cinema, entre realizadores, produtores e actrizes.

Da Competição de Longas-Metragens, o Queer Lisboa 22 contará com a presença dos cineastas brasileiros Marcio Reolon e Filipe Matzembacher, que voltam ao Festival para apresentar a sua última longa-metragem, Tinta Bruta, um dos títulos mais aplaudidos da recente cinematografia queer brasileira e que teve estreia mundial na última Berlinale. Também estreado mundialmente na mais recente edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim, o filme Marilyn estará representado pelo seu realizador, o argentino Martín Rodríguez Redondo.

Da Competição de Documentários, recebemos desde os EUA a Jordan Schiele, que virá apresentar The Silk and the Flame, um belíssimo retrato a preto e branco de Yao, um jovem chinês, gay, que vai visitar a família durante o Ano Novo Chinês. A cineasta Nicoletta Nesler e a produtora Susi Monzali também marcarão presença com Lunàdigas - ovvero delle Donne senza Figli, uma lúdica mas séria abordagem ao tema das mulheres que não querem ter filhos.

No âmbito da Competição Queer Art, destaque para a visita a Lisboa da lendária atriz brasileira Helena Ignez e de Djin Sganzerla, atriz principal de A Moça do Calendário, filme que Ignez dirige, e filha que a realizadora teve com o também incontornável realizador do Cinema Marginal Brasileiro Rogério Sganzerla. O ator Yuri Yamamoto e o produtor Rogerio Mesquita apresentam também nesta Competição, dedicada a narrativas mais desafiantes, o filme Inferninho, de Guto Parente e Pedro Diogenes; também desde Brasil chega Jean Santos para a estreia mundial de Superpina (acompanhado de grande parte da equipa e elenco do filme); e Mònica Rovira fará o mesmo com o melancólico e vanguardista documentário Ver a Una Mujer.

Na Competição de Curtas-Metragens, o Queer Lisboa 22 receberá a visita de vários representantes de filmes internacionais: Carolina Markowicz volta ao Festival, desta vez, e após triunfar em Cannes, com O Órfão; Jerry Carlsson também está de regresso ao Queer Lisboa, e apresentará Shadow Animals acompanhado pela sua produtora Frida Mårtensson; Thomas Hakim compete com o hipnótico filme En AttendantAna Galizia com o documentário Inconfissões; María Vera representará La Flaca enquanto distribuidora; e desde a Rússia chega Vsevolod Galkin (ator) com It.

Também dentro da Competição de Curtas-Metragens receberemos a visita dos portugueses Ricardo Vieira Lisboa, vencedor da Competição In my Shorts em 2016, e que agora apresenta Os Motivos de Reinaldo, e de José Magro, vencedor da Competição In my Shorts do Queer Porto também em 2016, e que nos falará sobre o seu novo filme Letters from Childhood.

Também estarão presentes no Cinema São Jorge outros representantes portugueses para apresentar os seus mais recentes trabalhos, mas desta vez fora de Competição: André Santos e Marco Leão (Self Destructive Boys), Francisco Mira Godinho (produtor de Anjo, de Miguel Nunes), Jorge Jácome (Flores) e Gabriel Abrantes, cujo Diamantino, co-realizado com Daniel Schmidt, abre o certame.

Da Competição de Filmes de Escola Europeus In My Shorts, o festival contará com a presença de Samuel Auer, realizador de Night Owls, com Anča Jesenská, designer de som de Days Off, com Mauro Soares, ator no filme Hello Cinta Pertamaku, Câmbio e Desligo, e ainda com Clara Stern, autora de Mathias.

A lista completa de convidados pode ser consultada aqui.