Artigo de Blogue

Todos os Artigos

Dia #5: Programa de curtas ‘Normcore Narratives’ na malavoadora.porto

O termo normcore, inicialmente utilizado para descrever uma subcultura baseada na apropriação artificial, consciente, das coisas banais e em uso comum, foi reformulado em 2013 pelo grupo de analistas de tendências americano K-HOLE no seu relatório Youth Mode: A Report on Freedom. Tornou-se assim viral uma nova forma de estar, onde se assume que o normal é algo que não existe, convertendo uma não tendência numa tendência global.

A liberdade e a democratização implícitas ao próprio conceito, servem como desculpa para identificar vários géneros de narrativas cujo principal objetivo é desafiar as normas. Assim, propõe-se neste programa de curtas uma reapropriação do termo e um jogo com as premissas que o sustêm, retratando, simplesmente, diferentes formas de estar no presente.

No seu conjunto, propomos um retrato do agora que é transversalmente marcado por narrativas disruptivas. Narrativas que encontram, na sua diferença, uma normalidade bastante representativa desta era do pós, desenhando um momento privado que nos faz estender uma pausa no nosso próprio tempo.

A sessão terá lugar na malavoadora.porto, às 17h30, e os filmes a ser exibidos serão:

Hommes de Montréal en Novembre, de Pascal Robitaille, Matthew Wolkow (Canadá, 2015, 6’)

American Reflexxx, de Alli Coates (EUA, 2014, 14')

Cosmic Crystals, de Jonathan Caouette (EUA, 2015, 8’)

Sal Mineo’s Locker, de Chance Taylor (Canadá, 2015, 9’)

Normal, de William Westley (EUA, 2015, 6’)

Murmur, de Adelina Bichis (Reino Unido, 2014, 6’)

The Dark, Krystle, de Michael Robinson (EUA, 2013, 10')

The Bowels of the Universe (With Shining Knees), de Madsen Minax (EUA, 2015, 3’)

She Whose Blood is Clotting in my Underwear, de Vika Kirchenbauer (Alemanha, 2016, 3’)