Artigo de Blogue

Todos os Artigos

Dias 2 & 3: início do programa “Berlinale Panorama 40" e arranque das Competições

No sábado, dia 21 de setembro, tem início o programa "Berlinale Panorama 40", o ciclo retrospetivo da celebrada secção Panorama do Festival Internacional de Cinema de Berlim, por ocasião do seu 40.º aniversário. O ciclo, inteiramente exibido na Cinemateca Portuguesa, propõe um olhar a alguns dos filmes que fizeram o percurso de uma das mais ousadas e inspiradoras montras de cinema não alinhado (incluindo o cinema queer) na Europa. Como sessão de abertura, no sábado às 21:30, vamos poder ver o magnífico Self-Portrait in 23 Rounds: A Chapter in David Wojnarowicz’s Life, 1989-1991 (2018), de Marion Scemama e François Pain, um mosaico revelador e comovente do seminal artista político norte-americano David Wojnarowicz. Contamos também com a presença dos realizadores do documentário na Cinemateca, onde irão apresentar o seu filme.

No mesmo dia, na sala 2 do Cinema São Jorge às 17:00h, terá lugar um debate à volta do tema "Novos Populismos", numa parceria entre o Queer Lisboa e Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa, e logo após o debate, a inauguração da exposição "20 Anos da Marcha do Orgulho LGBTI+", por ocasião da celebração da sua 20.ª edição. Esta exposição resulta de um desafio público lançado com o intuíto de reunir um espólio vivo de fotografias inéditas e outros materiais relacionados com o conjunto da sua história.

Têm também início no sábado, no Cinema São Jorge, algumas das secções competitivas do festival. Na Competição para a Melhor de Longa-Metragem, Carmen y Lola, de Arantxa Echevarría (19:30, sala Manoel de Oliveira) e And Then We Danced, de Levan Akin (22:00, sala Manoel de Oliveira) são os dois primeiros filmes que vamos poder ver. O primeiro interroga-se sobre a possibilidade de se quebrarem os ciclos geracionais que constrangem Carmen, uma jovem cigana madrilena que, ao conhecer Lola, começa a questionar o futuro que lhe fora traçado, e no segundo, estreado na mais recente edição do Festival de Cinema de Cannes, o mundo de Merab, bailarino no conservador Ensemble Nacional Georgiano, é subitamente abalado pela chegada do carismático Irakli, que se tornará simultaneamente seu rival e objeto de desejo. Dois filmes fortíssimos a abrir uma competição que continua no domingo, 22 de setembro, com o imperdível Greta, de Armando Praça, que estará presente na sessão, às 22:00 na Sala Manoel de Oliveira, para apresentar o seu filme.

Competição para o melhor Documentário arranca também no sábado com My War Hero Uncle,de Shaked Goren, às 19:15 na sala 3 do Cinema São Jorge, e continua no domingo com Man Made, de T Cooper, às 21:30 na sala 3, enquanto no Queer Art temos Ilha, de Ary Rosa e Glenda Nicácio, e Searching Eva, de Pia Hellenthal, os dois no sábado, e Doozy (na imagem), de Richard Squires, no domingo. Richard Squires estará também presente nesta sessão.  

Destaque ainda no sábado para, pela noite dentro, as Hard Nights, onde este ano temos novos filmes de Goodyn Green e também Alfredo Não Gosta de Despedidas, de André Medeiros Martins. No domingo para além da primeira sessão do Queer Focus com Water Makes Us Wet: An Ecosexual Adventure, de Annie Sprinkle e Beth Stephens, teremos também a primeira sessão da Competição de Curtas-Metragens, onde estarão presentes os realizadores de Pirate Boys, Old Narcissus e NEGRUM3.

Finalmente, a sala 2 do Cinema São Jorge acolhe, também no domingo, as sessões Portugal Hoje do Queer Pop, onde poderemos ver os documentários Conan, O Rapaz do Futuro, de Daniel Mota, e Lena d’Água - Nunca Me Fui Embora, de Hugo Manso e Nuno Galopim. Grande destaque neste dia para a presença da incontornável Lena d'Água na mesma sessão.