Artigo de Blogue

Todos os Artigos

O vírus-cinema: retrospetiva, livro e exposição à volta do VIH/sida



Um dos grandes destaques da próxima edição do Queer Lisboa é um programa multidisciplinar à volta da temática do VIH/sida, com o título “O vírus-cinema: cinema queer e VIH/sida”, que congrega um ciclo de cinema, uma exposição e o lançamento de um livro de ensaios. 

Desde os anos 80 que a epidemia do VIH/sida viu nas expressões artísticas um importante veículo para a representação das vidas e problemáticas daqueles direta e indiretamente afetados pelo vírus, e para a criação de metáforas à volta dessas mesmas problemáticas. Hoje, é reconhecida a importância, não apenas social, mas cultural do cinema que abordou esta temática, na medida em que muitas das obras que focaram a epidemia trouxeram inovações estéticas e narrativas à história do cinema.

O ciclo a ter lugar na Cinemateca Portuguesa e no Cinema São Jorge pretende dar a conhecer os realizadores do vídeo-ativismo do VIH/sida, colocando estas obras de emergência em diálogo com algumas das longas-metragens mais emblemáticas sobre este tema.

De entre as longas-metragens programadas, dão-se destaque a algumas obras como La Pudeur ou l’impudeur (1992), o vídeo-diarístico na primeira pessoa de Hervé Guibert; Buddies (1985), de Arthur J. Bressan, Jr., aquela que é a primeira ficção sobre o VIH/sida e que será apresentada em versão recentemente restaurada; Kids (1995), de Larry Clark, um dos expoentes do cinema indie norte-americano, ou Bright Eyes (1986), de Stuart Marshall, um dos primeiríssimos documentários sobre a sida. De entre os filmes ligados ao movimento do vídeo-ativismo, destaque para as obras de realizadores como Gregg Bordowitz, Mike Kuchar, Matthias Müller, os Gran Fury, Jerry Tartaglia ou Mike Hoolboom.

No dia 15 de setembro, data do início do ciclo de cinema na Cinemateca Portuguesa, é lançado o livro “O vírus-cinema: cinema queer e VIH/sida”, uma edição da Associação Cultural Janela Indiscreta, organizadora do Festival, com coordenação de António Fernando Cascais e João Ferreira, que reúne um conjunto de ensaios quase todos inéditos onde diferentes personalidades convidadas - de médicos a ativistas, de programadores a críticos de cinema -, escrevem cada uma sobre um filme que aborda esta temática (alguns dos quais são apresentados no ciclo), oferecendo-se assim diferentes perspetivas sobre os desafios que a epidemia representou para o cinema.

O livro, financiado pela EGEAC / Cinema São Jorge, conta com ensaios de Alexandra Juhasz, António Fernando Cascais, Augusto Seabra, Bruno Maia, Cristian Rodríguez, Daniel Pinheiro, Didier Roth-Bettoni, Franck Finance-Madureira, James Mackay, Jan Le Bris De Kerne, Jean-Sébastien Chauvin, Jerry Tartaglia, João Ferreira, João Lopes, Jorge Mourinha, Maria José Campos, Mathias Klitgård Sørensen, Matthias Müller, Mike Hoolboom, Nuno Crespo, Nuno Galopim, Pedro Marum, Pedro Silvério Marques, Ricardo Vieira Lisboa, Theodore Kerr e Tom Kalin.

A completar o programa, o Queer Lisboa lançou o convite ao artista plástico Thomas Mendonça para que ele desafiasse um conjunto de outros jovens artistas a conceberem uma peça à volta da temática do VIH/sida e dos filmes programados, procurando assim uma perspetiva de como a epidemia é vista e interpretada por uma nova geração.

A exposição, intitulada "O vírus", tem também inauguração marcada para o dia 15 de setembro, na Galeria FOCO, onde poderão ser vistas as obras de Christophe dos Santos, Cláudia Sofia, Diego Machargo, Fernanda Feher, João Gabriel (na imagem), João Viegas, Mauro Ventura, Marta Pombo, Rui Palma e Thomas Mendonça.

LONGAS-METRAGENS

Bright Eyes, Stuart Marshall (Reino Unido, 1986, 79')
Buddies, Arthur J. Bressan, Jr. (EUA, 1985, 81’)
E Agora? Lembra-me / What Now? Remind Me, Joaquim Pinto (Portugal, 2013, 164’)
Fast Trip, Long Drop, Gregg Bordowitz (EUA, 1993, 54’)
Kids, Larry Clark (EUA, 1995, 91’)
Les Nuits Fauves / Savage Nights, Cyril Collard (França, 1992, 126’)
La Pudeur ou l’impudeur, Hervé Guibert (França, 1992, 62’)
Zero Patience, John Greyson (Canadá, 1993, 97')

CURTAS-METRAGENS

The Ads Epidemic, John Greyson (Canadá, 1987, 5')
A.I.D.S.C.R.E.A.M., Jerry Tartaglia (EUA, 1988, 6')
Aus der Ferne - The Memo Book, Matthias Müller (Alemanha, 1989, 28')
Buffalo Death Mask, Mike Hoolboom (Canadá, 2013, 23')
Danny, Stashu Kybartas (EUA, 1987, 20')
Ecce Homo, Jerry Tartaglia (EUA, 1989, 7')
Final Solutions, Jerry Tartaglia (EUA, 1990, 10')
Frank’s Cock, Mike Hoolboom (Canadá, 1993, 8')
(In) Visible Women, Ellen Spiro (EUA, 1991, 25’)
Internal Combustion, Alisa Lebow, Cynthia Madansky (EUA, 1995, 8')
Kissing Doesn’t Kill, Tom Kalin, Gran Fury (EUA, 1990, 4')
The Last Time I Saw Ron, Leslie Thornton (EUA, 1994, 12')
Listen to This, Tom Rubnitz (EUA, 1992, 16')
Pensão Globo, Matthias Müller (Alemanha, 1997, 14')
The Pictures of Dorian Gay, Mike Kuchar (EUA, 1995, 23')
Some Aspect of a Shared Lifestyle, Gregg Bordowitz (EUA, 1986, 22’)
Steam Clean, Richard Fung (EUA, 1991, 4')