Artigo de Blogue

Todos os Artigos

Queer Lisboa e Queer Porto aumentam número espectadores em 2016

A equipa do Queer Lisboa e do Queer Porto já se encontra a trabalhar nas edições de 2017 dos dois festivais, mas em tempo de balanços é de realçar o aumento de 18% no número total de espectadores, face às edições de 2015 dos dois festivais e da mostra de cinema “Are you for real? – Uma Viagem Afrofuturista do Blaxploitation às Utopias Queer Visuais e sonoras”.

Assim sendo, em 2016, o Queer Lisboa 20, o Queer Porto 2 e o ciclo de cinema “A Experiência Afro-Brasileira na Tela”, organizado pelo festival em parceria com o Africa.Cont e a EGEAC/ Galerias Municipais, registaram 10.187 espectadores, um balanço altamente positivo.

Destaque para o regresso da secção Panorama no Queer Lisboa 20 e para a organização, na Cinemateca Portuguesa, de uma ambiciosa retrospetiva dedicada à obra do cineasta britânico Derek Jarman, intitulada “Jarman and the Last of England”, a propósito da qual estiveram em Portugal convidados como o produtor James Mackay, o ator Keith Collins, o realizador John Scarlett-Davis e o programador do BFI William Fowler.

A 20.ª edição do festival foi ainda celebrada com uma exposição de fotografia que esteve exposta no Cinema São Jorge e que reuniu obras de António da Silva, Carlos Jgm, Rui Palma, Sara Rafael, Vanda Noronha e Vítor Serrano.

Já no Queer Porto 2 foi inaugurada a Competição In My Shorts, composta por filmes de escolas de cinema da região norte e de artistas com menos de 30 anos residentes no norte do país, e foi apresentada uma retrospetiva dedicada ao movimento New Queer Cinema, tendo contado com a presença dos cineastas norte-americanos Cheryl Dunye e Tom Kalin, que participaram numa master class na malavoadora.porto. O Queer Porto 2 desafiou ainda um conjunto de artistas do Porto – António MV, Júlio Dolbeth, Mauro Ventura, Rita Roque, Sandra Araújo e Von Calhau! – a criar uma peça ilustrativa de cada filme da retrospetiva, obras que foram expostas na Galeria Wrong Weather e que foram editadas numa coleção de postais.

Já em dezembro de 2016 o Queer Lisboa foi novamente convidado pelo Africa.Cont e pela EGEAC/Galerias Municipais a programar um novo ciclo de filmes dedicados à diáspora africana. O ciclo, “A Experiência Afro-Brasileira na Tela”, realizou-se na Cinemateca Portuguesa e na Casa Independente e contou com a presença em Lisboa de uma série de convidados, e a realização de debates e instalações.