Filme

Kisieland

Kisieland

O documentário retrata o encontro entre o artista Karol Radziszewski e Ryszard Kisiel, responsável por uma das primeiras zines gay da Europa Central Oriental, a Filo, "redescoberta" pelo realizador. O pano de fundo do filme é o arquivo oculto de Kisiel, composto por dezenas de slides coloridos que documentam sessões de fotografia organizadas por Kisiel e pelos seus amigos num apartamento privado, e que são agora reencenadas com a ajuda de um modelo. As fotografias, tiradas em 1985 e 1986, podem ser vistas como uma reação direta à campanha polaca da milícia anti-gay ("Hiacynt"), durante a qual a Polícia Secreta recolhia informações sobre homossexuais na Polónia para depois as usar como material de chantagem.