Júri e Convidados

Lista

Invitee

  • Adrián Silvestre

    Realizador / Espanha

    Cineasta e produtor, Adrián Silvestre estudou cinema e comunicação em Madrid, tendo tirado uma pós-graduação em Arte Contemporânea e Cultura Visual no Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofía. Também estudou Produção de Cinema na Escuela de Cine y TV de San Antonio de los Baños, em Cuba. Los Objetos Amorosos é a sua segunda longa-metragem, e está em competição nesta edição pelo Prémio à Melhor Longa-Metragem.


  • Camila José Donoso

    Realizadora / Chile

    Enquanto estudava realização de cinema, Camila José Donoso (Chile, 1988) escreveu e realizou várias curtas-metragens e performances de video. Atualmente, dirige e dá aulas na Transfontera, uma escola da América do Sul de cinema experimental e colabora diretamente com Ignacio Agüero. Com Casa Roshell, compite en Queer Lisboa 21 pelo Prémio ao Melhor Filme da Competição Queer Art.

  • Carlos Conceição

    Realizador / Lisboa

    Carlos Conceição (Angola) é licenciado em realização pela Escola Superior de Teatro e Cinema (2006). Em 2005, começa a realizar telediscos e videoarte. Em 2014, a sua obra foi alvo de uma retrospetiva integral na Cinemateca Francesa, em Paris. Participa este ano no Queer Lisboa 21, na Competição para Melhor Curta-Metragem, com o seu novo filme Coelho Mau (2017).

  • Carlos Juliano Barros

    Realizador / Brasil

    Carlos Juliano Barros é jornalista e documentarista, fundador da Repórter Brasil, organização focada em direitos humanos. Junto com Caio Cavechini é o realizador do filme Entre os Homens de Bem (2016), em Competição este ano para o Prémio ao Melhor Documentário do Festival.

  • Cecilie Debell

    Realizadora / Dinamarca

    Cecilie Debell é licenciada em Jornalismo pela Universidade de Roskilde (2015). Tem trabalhado em televisão, tendo produzido programas de entretenimento e séries documentais. Outros projetos incluem produções na Índia e em Nova Iorque. My Mother Is Pink, na Competição deste ano para Melhor Documentário, é o seu primeiro filme. 


  • Chus Sarrión

    Assistente de Director / Espanha

    Chus Sarrión foi Assistente de Direção da Shu Lea Cheang durante as filmagens de Wonders Wander (Queer Focus - Shu Lea Cheang)

  • Claus Matthes

    Produtor / Alemanha

    Claus Matthes é produtor dos filmes Berlin Drifters (Hard Nights) e Fluidø (Queer Art / Queer Focus) presentes no programa da edição deste ano.

  • Cosimo Santoro

    Distribuidor / Itália

    A distribuidora The Open Reel visa apoiar e desenvolver o cinema independente de todos os gêneros a nível internacional. The Open Reel quer ampliar a visibilidade das produções independentes graças a uma equipa dedicada a desenvolver a sua circulação e o seu posicionamento em festivais, eventos e mercados.

  • Erika Anne Coleman

    Atriz / Suécia

    Erika Anne Coleman é uma das actrices que protagonizam a curta-metragem "My Gay Sister", da realizadora Lia Hietala, participante este ano na Competição Melhor Curta-Metragem do Festival.

  • Federico Strate Pezdirc

    Realizador / Espanha

    Federico Vladimir Strate Pezdirc (Buenos Aires, 1983) é um artista visual. O seu trabalho já foi exibido no Centro Pompidou (Paris), British Film Institute (Londres) ou no MARCO (Vigo). Foi distinguido com o prémio Auditorio de Galicia, o prémio de projeto INJUVE e uma bolsa de artes visuais pela Gas Natural Unión Fenosa. Com Introducing the Star: the Choir Girls' Diaries, correalizado junto a Pablo Esbert Lilienfeld, compite este ano pelo Prémio ao Melhor Filme da Competição Queer Art.

  • Francesca Delise

    Distribuidora / Itália

    A Festivals Booking e International Sales Agency, o Open Reel visa apoiar e desenvolver cinema independente de todos os gêneros a nível internacional. O Open Reel quer ampliar a visibilidade das produções independentes não apoiadas por uma equipe dedicada a desenvolver sua circulação e seu posicionamento em festivais, eventos e vendas. O Open Reel também está ativo em um nível de distribuição nacional, através do vod platfrom www.theopenreel.it
    A distribuidora The Open Reel visa apoiar e desenvolver o cinema independente de todos os gêneros a nível internacional. The Open Reel quer ampliar a visibilidade das produções independentes graças a uma equipa dedicada a desenvolver a sua circulação e o seu posicionamento em festivais, eventos e mercados.

  • Hiroki Iwasa

    Som, Fotografia, Montagem / Japão

    Hiroki Iwasa é encarregado pelo som, fotografia e montagem do film Berlin Drifters, que passa este ano nas Hard Nights.

  • Inês Silva

    Realizadora / Portugal/Reino Unido

    Inês Alves (Caldas da Rainha, 1987) tem uma Licenciatura em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro e um Mestrado Internacional em Estudos Culturais. Neste momento frequenta um Mestrado em Cinema Documental na Universidade de Artes de Londres. Tem estado envolvida em diferentes projetos artísticos, culturais e pedagógicos. O seu documentário curto It's (Not) Just Another Party participa na Competição de Melhores Filmes de Escola Europeus - In My Shorts.

  • Jo Sol

    Realizador / Espanha

    Jo Sol começou a trabalhar como escritor e cineasta no final dos anos 1980. Inicialmente, focou-se na antropologia visual, desenvolvendo diversas produções no formato livro do vídeo-ensaio praticado na Índia, Cuba e México. Os seus trabalhos têm combinado práticas experimentais com documentários de longa-metragem e uma forte agenda sociopolítica. O seu filme Vivir y Otras Ficciones está incluído este ano na Competição para Melhor Documentário.

  • Jonas Amarante

    Produtor / Brasil

    Fascinado pelo universo do documentário, fez cinema, cursou Documentary Filmmaking na MET Film School e pós-graduação em cinema documentário na FGV. Atualmente exerce as funções de Diretor, Diretor de Fotografia e Produtor Executivo. É o produtor da curta-metragem Tailor, de Calí dos Anjos, que compite este ano pelo prémio à Melhor Curta-metragem em Competição.

  • Koichi Imaizumi

    Realizador / Japão

    Kôichi Imaizumi começou a sua carreira em 1990 como ator na indústria de filmes cor-de-rosa (filmes romântico-pornográficos japoneses). Imaizumi realizou o seu primeiro filme gay em 1999 e, desde então, tem vindo a fazer constantemente filmes gay de forma independente. O seu filme Berlin Drifters passa nas Hard Nights desta edição.

  • Lia Hietala

    Realizadora / Suécia

    Lia Hietala (Estocolmo, 1993) realizou a sua primeira curta-metragem em 2015, If I Say No. Chega ao Queer Lisboa 21 para competir com My Gay Sister pelo Prémio à Melhor Curta-Metragem desta edição. Atualmente trabalha na sua primeira longa-metragem, September 1st 2016

  • Marcelo Caetano

    Realizador / Brasil

    Os filmes do Marcelo Caetano (Belo Horizonte, 1982) já foram exibidos em Roterdão, Clermont-Ferrand, IndieLisboa ou Montreal. Já trabalhou com Anna Muylaert (em Mãe Só Há Uma), Gabriel Mascaró (em Boi Neon), Hilton Lacerda (em Tatuagem) e Kleber Mendonça Filho (em Aquarius)Corpo Elétrico, este ano na Competição para Melhor Longa-Metragem, é a sua primeira longa-metragem.


  • Mattia De Marco

    Produtor / Itália

    Mattia de Marco é produtor do filme Loris Sta Bene, do realizador Simon Bozzelli, que compite este ano pelo Prémio ao Melhor Filme de Escola Europeu da Competição In My Shorts.

  • Maxime Feyers

    Realizador / França

    Maxime Feyers é um realizador e produtor estabelecido em Bruxelas. A sua primeira curta-metragem, Come What May, foi programada em mais de 50 festivais de todo o mundo. Tem trabalhado para festivais de cinema na Bélgica e no Japão. Também dá aulas de cinema na Raindance Film School. Junto a Séverine de Streyker realizou "Calamity" (2017), em Competição este ano no Festival na Categoria de Melhor Curta-Metragem.

  • Pablo Esbert Lilienfeld

    Realizador / Espanha

    Pablo Esbert Lilienfeld (Madrid, 1981) é coreógrafo e músico. O seu trabalho já foi programado no Aerowaves Europe e passou por festivais internacionais como FIDCU (Montevidéu), During TEFAF (Maastricht), B-Motion (Itália), El Grec (Barcelona) ou 321 La Alhóndiga (Bilbao). O seu filme realizado junto a Federico Vladimir Strate Perzdirc, Introducing the Star: The Choir Girls' Diaries, faz parte da Competição Queer Art deste ano.

  • Ricardo Branco

    Realizador / Lisboa

    Ricardo Branco nasceu em 1992 numa pequena cidade em Portugal. Em 2010, lançou o seu primeiro romance, Amor Combate, e em 2016 estreou o seu primeiro filme, 1500, no BFI Flare. O seu segundo filme, Fora de Campo, estreou na Cinemateca Portuguesa em 2017. É também criador e programador do festival cultural Escrever nas Margens. Rute é o seu terceiro filme, e está este ano incluído na Competição para Melhor Filme de Escola Europeu - "In My Shorts".


  • Ricky Mastro

    Realizador / Brasil/França

    Ricky Mastro formou-se em Artes Dramáticas pela Universidade de Washington, em 2000. De volta ao Brasil, formou-se em Cinema, e já escreveu e realizou sete curtas-metragens. Ricky é um dos criadores do Recifest, primeiro festival LGBT em Recife, e programador do DIGO - Festival Internacional de Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás. A sua curta-metragem La Tapette está incluída na competição para Melhor Filme de Escola Europeu - In My Shorts.

  • Rob Eagle

    Realizador / Reino Unido

    Rob Eagle é realizador e produtor de filmes documentais, áudio documentários e realidade virtual. Desde 2009, tem trabalhado com investigadores e académicos para transformar os seus trabalhos em curtas-metragens para um público-alvo mais alargado. Com Harding & his Camera está este ano em Competição pelo Prémio á Melhor Curta-Metragem.

  • Samira Elagoz

    Realizadora / Finlândia

    Samira Elagoz (Helsínquia, 1989) é uma artista a viver atualmente em Amesterdão. Formou-se em Coreografia na Universidade de Artes de Amesterdão em 2016. Ao longo dos últimos anos, explorou meticulosamente as possibilidades dos encontros com estranhos através de ecrãs, lentes e do ciberespaço. O seu filme Craigslist Allstarts competirá nesta edição pelo Prémio ao Melhor Filme da Seção Queer Art.

  • Shu Lea Cheang

    Realizadora / Paris

    Shu Lea Cheang nasceu no Taiwan em 1954. Viveu em Nova Iorque durante os anos 1980 e 90, tendo regressado à Europa no ano 2000, estando estabelecida, atualmente, em Paris. Desde o início dos anos 80 que é uma artista ativa nas áreas do vídeo experimental e da net art, daí que o seu trabalho combine preocupações artísticas com questões sociais politizadas, definidas pela sua existência peripatética e pela era da informação, lidando com o corpo tecnológico, política queer e questões digitais. Abordando estas preocupações através de uma variedade de meios – filme, vídeo, instalação, espaços na web – os resultados são tão variados como o próprio ciberespaço. O Queer Lisboa dedica-lhe a Seção Queer Focus deste ano, para além de incluir a sua última longa-metragem "Fluidø" na Competição Queer Art.

  • Simone Bozzelli

    Realizador / Itália

    Simone Bozzelli (Silvi, 1994) formou-se em Design Media e Artes Multimédia pela Nuova Accademia di Belle Arti de Milão. Em 2015, a sua primeira curta-metragem, Mio Fratello, venceu o Bologna Youngabout Film Festival e o Flaiano Award. Loris Sta Bene é o seu projeto de fim de curso, e está este ano em Competição na Seção de Filmes de Escola Europeus "In My Shorts"

  • Sky Deep

    Realizadora / Dj / EUA / Alemanha

    Sky Deep é uma produtora musical, DJ, música, cineasta e ativista nascida nos EUA, a viver em Berlim. Fora do cinema, Sky Deep dirige a editora Reveller Records. Como ativista de comunidade e das artes, criou o Reclaim the Beats Festival, em Berlim, e é membro do coletivo female:pressure, uma rede internacional de artistas femininas dos campos da música eletrónica e das artes digitais. Enactone, incluído na programação das Hard Nights deste ano, é o seu primeiro filme, e Sky será a Dj que fechará a Festa de Encerramento do Festival.


  • Yan England

    Realizador / Canadá

    Nascido em Montreal, Yan England começou a sua carreira como ator aos oito anos, tendo participado em várias séries televisivas canadianas. Em 2013 conseguiu uma nomeação ao Óscar por Henry, curta-metragem que, junto a Moi, tem conquistado vários prémios internacionais. 1:54 é a sua primeira longa-metragem.

Juri

  • Ana Moreira

    Atriz / Porto

    Desde 1998 que colabora com os realizadores Teresa Villaverde, João Botelho, Jorge Cramez, Eugène Green, Gabriel Abrantes, Daniel Aragão, Salomé Lamas e Miguel Gomes. Foi distinguida na categoria de Melhor Atriz nos filmes Os Mutantes e Transe, de Teresa Villaverde e em Adriana, de Margarida Gil, em festivais nacionais e internacionais. Tem colaborado com vários festivais de cinema na qualidade de júri. Em teatro participou em projetos da companhia Primeiros Sintomas, foi cofundadora da companhia Voz Humana onde coencenou a peça A Voz Humana, de Jean Cocteau, e participou em Margot, mémoires d'une Reine Malhereuse, com encenação de Marie Mignot. Ainda em 2017, realiza a curta-metragem intitulada Aquaparque.

  • Carlota Lagido

    Coreógrafa / Lisboa

    Carlota Lagido nasceu em 1968 e é bailarina, coreógrafa, figurinista, professora de dança e design de cena. O seu trabalho como coreógrafa tem características multidisciplinares. Aborda questões de identidade e contextos autobiográficos. De 1998 a 2014 criou LILITH; HISTÓRIAS QUE A MINHA MÃE NUNCA ME CONTOU (2000); NOTFORGETNOTFORGIVE (1999-2009); DISNASTIDOG, com Vitor Rua e João Galante (2001); BB e BB2 (2004); UGLY (2003); SELF (2004); MONSTER (2009); THE IMPORTANCE OF NOTHING (2012); A ROOM FULL OF DIRT, em colaboração com Miguel Bonneville (2013); RO.GER (2014). Em 2015 dirigiu a peça de teatro HOTEL FLAMINGO. Em 2016 criou 50 TONELADAS (DGArtes).

  • Colby Keller

    Ator / Michigan

    Colby Keller é um artista visual, blogger e ator de filmes para adultos com um bacharelato em Antropologia pela Universidade de Houston e um mestrado em Arte de Estúdio pelo Maryland Institute College of Art. Um veterano do cinema porno há dez anos, Keller apareceu em mais de 90 filmes para adultos. O seu mais recente projeto, Colby Does America, é um projeto de arte altamente ambicioso e de grande colaboração que implica a filmagem de peças de arte erótica nos 50 estados dos EUA e várias zonas do Canadá. Seja à frente da câmara, ou atrás dela, Keller espera que este projeto o ajude a explorar ainda mais a representação e a mercantilização da sexualidade na sociedade de hoje.

     

  • Francisco Moreira

    Montador / Lisboa

    Francisco Moreira (1981) vive e trabalha em Lisboa, onde estudou Sociologia (ISCTE) e Cinema (ESTC). Trabalha em montagem e anotação desde 2008, colaborando regularmente com as produtoras Terratreme e O Som e a Fúria – em Portugal – e Teia e Anavilhana – no Brasil – nas áreas de cinema, televisão e artes plásticas. Trabalhou em projectos presentes em diversos festivais nacionais e internacionais, nomeadamente IndieLisboa, Doclisboa, Berlinale, Quinzena dos Realizadores de Cannes, Viennale, Cinéma du Réel e Fid Marseille. 

  • Isabel Abreu

    Atriz / Lisboa

    É licenciada em teatro pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Além do seu percurso premiado como atriz de teatro, Isabel Abreu também ganhou notoriedade e reconhecimento pelo seu trabalho em televisão e cinema. Em 2015, foi premiada na categoria de Melhor Atriz de Cinema Português pelos Caminhos do Cinema Português. Em cinema, trabalhou com realizadores como Sandro Aguilar em Zona (2008), Voodoo (2010), Sinais de serenidades por coisas sem sentido (2012) e Bunker(2015); Tiago Guedes e Frederico Serra em Entre os dedos (2008); Tiago Guedes em Coro dos Amantes (2014); Mariana Gaivão em Solo (2012), entre outros.

  • João Onofre

    Artista / Lisboa

    João Onofre nasceu em Lisboa, 1976, onde vive e trabalha. Estudou na Faculdade de Belas Artes de Lisboa e concluiu o Master of Fine Arts no Goldsmiths College, no Reino Unido, em 1999.  Já expôs individualmente no MoMA Contemporary Art Center (Nova Iorque), MNAC (Lisboa),  CGAC (Santiago de Compostela), Fundació Joan Miró (Barcelona), Palais de Tokyo (Paris), Marlborough Contemporary (Londres) ou Kunstpavillion (Munique). Integrou inúmeras exposições coletivas internacionais. O seu trabalho está incluído em diversas coleções públicas e privadas, entre as quais: Centre Georges Pompidou – MNAM/CCI, Paris; MACS – Museu de Serralves, Porto; Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, entre outras.

  • João Villas-Boas

    Ator / Porto

    Mestre em Psicologia Social pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Faculdade de Coimbra, completou o curso de Representação da ACT – Escola de Actores em 2010. Em 2016, fez a École des Maitres, edição orientada por Christiane Jatahy. Frequentou o curso de Verão da escola de dança P.A.R.T.S. em Bruxelas. Como ator, realça em teatro o trabalho com Luís Miguel Cintra, Christiane Jatahy, Jorge Andrade, Miguel Loureiro, Gonçalo Amorim, António Pires, Jean-Paul Bucchieri, Daniel Gorjão e Martim Pedroso. Em cinema, trabalhou com Raul Ruiz, Valéria Sarmiento, Vicente Alves do Ó, André Santos e Marcos Leão e António-Pedro Vasconcelos. 

  • Jorge Jácome

    Realizador / Lisbon

    Jorge Jácome (1988) é um cineasta, licenciado pela ESTC (2010) e em Le Fresnoy – Studio national des Arts Contemporains (2016). Nos seus trabalhos, investiga as relações entre utopias, melancolia, desaparecimento e desejo. Os seus filmes já foram exibidos em vários festivais (Curtas - V. Conde, Premiers Plans d'Angers, Côté Court, EMAF - Osnabrück, BIEFF, entre outros) e em exposições no Palais de Tokyo e na La Maison Européenne de la Photographie. Em 2017, venceu o York University Award para o Melhor Trabalho de Estudante em Ecrã, com Fista Forever, no Images Festival, em Toronto, e o prémio Novo Talento, com Flores, no IndieLisboa.

  • Luísa Homem

    Realizadora / Lisboa

    Lisboa, 1978. Estudou Ciências da Comunicação/Cinema, na FCSH-UNL e na Universidade Paris 8. Frequentou os Ateliers Varan, PCCA – Fundação Calouste Gulbenkian. Realizou filmes de arte, institucionais, a série Um Dia No Museu (RTP2) sobre Museus de Arte em Portugal; corealizou As Cidades E As Trocas (com Pedro Pinho) e São Tomé: No Trilho Dos Naturalistas (com Tiago Hespanha). Colaborou na montagem de diversos filmes, mais recentemente A Fábrica de Nada, de Pedro Pinho. Atualmente, desenvolve um filme sobre a geógrafa Suzanne Daveau e uma longa-metragem de ficção.  É sócia-fundadora da Terratreme. Desde 2011 que colabora com o curso Cinema/ Imagem em Movimento da Ar.Co.

  • Marcos Rocha

    Festival Director / Fortaleza, Brasil

    Psicólogo; diretor da Fábrica de Imagens – ações educativas em cidadania e género; articulador da Rede Latino-americana de género e cultura; membro do GT de Género da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura; coordenador geral da Mostra Internacional Audiovisual Curta o Gênero, do Seminário Internacional Género, Cultura e Mudança, do Ponto de Outros Olhares – equidade e diversidade e do CACTO – Cultura, Arte e Comunicação para a Promoção da Equidade de Género e Afirmação das Sexualidades; organizador das coleções de livros Gênero, Cultura e Mudança e Outros Olhares; realizador audiovisual com experiência em argumento, produção e realização.

  • Nádia Henriques

    Diretora de Arte / Lisboa

    Nascida em 1980, em Lisboa. Fez a licenciatura em Antropologia Social no ISCTE com passagem pela VU de Amesterdão, tendo de seguida estudado Cinema nas vertentes de Realização e Montagem na ESTC, com intercâmbio na FUC de Buenos Aires.  Trabalhou em mais de 50 produções cinematográficas como Diretora de Arte ou Assistente de Realização, entre outras funções, com realizadores como João Salaviza, João Botelho, João Pedro Rodrigues, Edgar Pêra, Sandro Aguilar, Paulo Rocha, Pedro Caldas, Mariana Gaivão, Margarida Cardoso, Leonor Noivo, Cláudia Varejão, Márcio Laranjeira, Salomé Lamas, Miguel Clara Vasconcelos, Miguel Gomes, entre outros. 

  • Ricardo Vieira Lisboa

    Realizador e Crítico de cinema / Lisboa

    Ricardo Vieira Lisboa nasceu em Lisboa, em 1991. É licenciado e mestrado em Matemática Aplicada e Computação e é também mestre em Cinema na área de Realização e Dramaturgia. É programador convidado no IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema Independente de Lisboa, desde 2013, e crítico de cinema no site À pala de Walsh, que cofundou. Tem produzido comunicações, artigos académicos e organizado programas dedicados aos novos nomes do cinema nacional. Como realizador produziu e realizou curtas-metragens experimentais e vídeo-ensaios, incluindo Children, Madonna and Child, Death and Transfiguration vencedor do prémio In My Shorts no Queer Lisboa 2016.

  • Rui Filipe Oliveira

    Produtor / Lisboa

    Nasceu em Lisboa, em 1962. De 1979 a 1982, colaborou em alguns trabalhos de televisão e cinema em diversas áreas técnicas. Após a conclusão da licenciatura, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, foi professor do ensino secundário. Em 1988, ingressou nos quadros da RTP como assistente de realização, tendo em 1995 passado a exercer as funções de produtor. Ao longo da sua carreira na RTP, tem sido responsável pela produção de vários tipos de programas de televisão, abrangendo diversas áreas onde se incluem a ficção e o documentário, bem como espetáculos musicais, desporto e entretenimento.

  • Sérgio Tréfaut

    Realizador / Brasil/Portugal

    Nasceu no Brasil em 1965, filho de mãe francesa e de pai português no exílio. Formou-se em filosofia na Sorbonne (Paris). Desde há 20 anos é produtor e realizador. Os seus documentários foram exibidos em mais de 40 países e receberam diversos prémios nacionais e internacionais: Outro País (1999), Fleurette (2002), Lisboetas e A Cidade dos Mortos (2009),  Alentejo, Alentejo (2014), Treblinka (2016). A sua primeira longa metragem de ficção, Viagem a Portugal (2011), também teve circulação e prémios internacionais. Entre 2004 e 2010 Sérgio Tréfaut dirigiu o festival DocLisboa.

  • Yann Gonzalez

    Realizador / Paris

    Nascido em 1977, Yann Gonzalez estreou a sua primeira longa-metragem, Les Rencontres d’après minuit, na Semana da Crítica do Festival de Cinema de Cannes de 2013. O filme foi selecionado para vários festivais, incluindo Milão e Atenas, onde venceu o prémio principal. Entre 2006 e 2012, e depois de ter trabalhado como crítico de cinema, Yann realizou seis curtas-metragens, exibidas em diversos festivais de cinema internacionais, incluindo a Quinzena dos Realizadores, em Cannes. Recentemente, realizou a curta-metragem Les Îles (2017) e está, atualmente, a trabalhar na sua segunda longa-metragem, Knife + Heart.